O Portal 180, do estado do Piauí, denunciou um esquema de corrupção investigado pelo Ministério Público que já acumula mais de 43 procedimentos para apurar obras superfaturadas de estradas vicinais no Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI). A fraude ocorreria desde 2014 e teria gerado um rombo de R$13 milhões aos cofres públicos, segundo o MP.


A DIGITAL DO GESTOR QUE SE MANTINHA NO ANONIMATO
O diretor presidente do Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI) Geraldo Magela Aguiar renovou dois contratos, que seriam oriundos dos idos anos de 2014, com uma das construtoras suspeitas de praticar sobrepreço e superfaturar valores em obras de estradas vicinais na gestão de Elizeu Aguiar, durante o governo de Zé Filho.

A empreiteira é a Caxé, pertencente ao engenheiro Gustavo Macedo Costa.

Por Rômulo Rocha – De São Raimundo Nonato

Publicada originalmente no dia 20/08/2017 em Portal180

– Empresa supostamente usada para vasculhar vida de jornalista em uma madrugada de sábado é uma das acusadas de integrar o Caso IDEPI, que vem sendo noticiado pelo profissional do 180

– R$ 13 milhões. Essa cifra, oriunda de recursos públicos, é o montante que teria sido desviado através de estradas vicinais; os números, no entanto, divergem e podem se mostrar outros

– Nas últimas semanas, o jornalista tem sido alvo de ações junto à Justiça, à Polícia (Delegacia da Mulher e 13º Distrito Policial), na imprensa e tem tido sua vida pessoal devassada.

Publicada originalmente no dia 01/08/2017 em Portal180