A imprensa sempre critica, sob aplausos gerais, a lentidão da Justiça. Mas merece vaias quando posterga decisões justas que poderiam melhorar a qualidade da informação no país. Juristas e jornalistas se reuniram em outubro, em Porto Alegre, num seminário para discutir o vácuo jurídico criado pela revogação em 2009 da Lei de Imprensa, um entulho produzido em 1967 pela ditadura e removido sem deixar saudades.

Por Luiz Cláudio Cunha

Publicado originalmente em Jornal JÁ

 


 

O papel do jornalista é  o de interpretar informações, atribuindo-lhe sentido e precisão na produção de um bem intelectual que dê ao receptor a possibilidade de refletir e de, também, interpretar. É aí que reside a grandeza de um texto, e só então pareceria correto atribuir ao jornalismo o papel de auxiliar na difusão do conhecimento.

Por Tiago Lobo