Os 10 passos para o “Jornalismo Criminoso”

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Por Tiago Lobo

1) Publique em grandes jornais como The New York Times e The Guardian.

2) Ganhe um Pulitzer ao denunciar o governo mais poderoso do planeta por espionar seu povo.

3) Vá morar no Brasil, ganhe um Esso nacional e alguns outros prêmios pela mesma pauta.

4) Depois de ser mundialmente reconhecido como profissional, se apaixone por um brasileiro que você conhecer numa praia carioca e se case com ele.

5) Adote crianças brasileiras e as crie como se fossem suas. Adote todas as que tiver condições de criar e dar uma vida melhor do que teriam em um orfanato.

6) Obtenha financiamento internacional para fundar seu próprio jornal. E engaje 11 mil leitores que te remuneram para manter seu conteúdo gratuito para todos.

7) Escreva e produza jornalismo em português como você faria em inglês norte-americano. E dê liberdade para jornalistas brasileiros também o fazerem.

8) Crie mecanismos criptografados para receber denúncias seguras e documentos vazados de interesse público e publique uma série de informações obtidas por fonte anônima que demonstram a corrupção dentro do principal mecanismo de combate a corrupção de um país do qual você não seja nativo.

9) Ao invés de sentar em cima do conteúdo, compartilhe com veículos de todo o tipo e os deixe reportar e apurar os fatos.

10) Dê uma entrevista ao programa Roda Viva e responda, diversas e repetidas vezes, para colegas de profissão nativos do país onde você está, qual é a ética que está definida no código deontológico do jornalismo daquele país que você não é nativo.

Depois de tudo isso você continuará visto como um “jornalista criminoso”, pois Jornalismo é algo que se faz muito pouco no Brasil e se compreende menos ainda.

Deixe uma resposta

Pensamento.org é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, que busca o fortalecimento da democracia e a defesa dos direitos humanos por meio do jornalismo.

  • Porto Alegre / RS
  • +55 (51) 99330-9479
  • pensamento.org@gmail.com
%d blogueiros gostam disto: