Educação em Pelotas e asfalto no interior: os dados de Eduardo Leite (PSDB)

Ex-prefeito de Pelotas e atual presidente estadual do PSDB, Eduardo Leite é advogado e começou cedo na política. Em 2012, aos 27 anos, foi o prefeito mais jovem da história de Pelotas, quarto maior colégio eleitoral do Rio Grande do Sul. Já tinha sido eleito vereador na cidade, em 2008, e foi também secretário municipal da Cidadania, em 2005.

Por Heloíse Bordin, Taciana Farias e Thayse Uchoa*

Agora com 32 anos, Eduardo Leite se diz pronto para governar um Estado em crise financeira, sustentado pela aprovação de sua gestão como prefeito de Pelotas, que culminou na continuidade de seu projeto político na cidade com a eleição em primeiro turno da atual prefeita, Paula Mascarenhas (PSDB).

Em entrevistas concedidas ao siteBeta Redação e ao programaEsfera Pública, da Rádio Guaíba, já como pré-candidato a governador, Leite usou dados corretos sobre o acesso asfáltico a cidades do interior gaúcho e o aumento do desempenho de Pelotas na educação, mas exagerou ao dizer que foi a cidade gaúcha que mais evoluiu no indicador.   

“Pelotas teve a maior evolução do Ideb no RS, subiu 23% de 2013 para 2015, por conta de investimentos na educação.”

Em uma de suas primeiras entrevistas como potencial candidato ao governo gaúcho, Eduardo Leite afirmou ao site Beta Redação, em outubro de 2017, que Pelotas teve a maior evolução do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Rio Grande do Sul no período de 2013 a 2015, com aumento de 23% na avaliação.

O percentual citado está de acordo com o site do Ideb, com referência ao 4º e 5º ano do Ensino Fundamental na rede municipal, que passou de 3,9 para 4,8, resultando nos 23% de aumento. Entretanto, os mesmos valores não valem para o 8º e 9º ano, onde o aumento foi de apenas 5%, passando de 3,5 para 3,7. Também é importante considerar que a meta programada para o Ideb no município de Pelotas em 2015 era de 5,0 no 4º e 5º ano e 4,5 no 8º e 9º ano – portanto, mesmo que tenha melhorado, o município teve desempenho abaixo da meta estabelecida.

idebpelotasAlém disso, ao ser consultada sobre a fonte da declaração, a assessoria do pré-candidato informou que Pelotas teve o maior crescimento no índice dentre os municípios mais populosos do RS e não do Estado como um todo, como dá a entender a afirmação na entrevista. Portanto, a afirmação é exagerada.

idebmaioresrs

“O estado do RS tem muitas rodovias e pelo menos 50 municípios sem acesso asfáltico.”

Em uma entrevista ao programa Esfera Pública da Rádio Guaíba, no dia 19 de abril de 2018, Leite afirmou que o Rio Grande do Sul tem pelo menos 50 municípios sem acesso asfáltico. A assessoria do pré-candidato informou que o dado tem base no último levantamento da Federação das Associações de Município do Rio Grande do Sul (Famurs), feito em 2016. Nesse relatório, a Famurs aponta que a falta total ou parcial de acesso asfáltico afeta 100 municípios gaúchos. Desse total, foi apontado que 64 dos municípios ainda não tinham acesso asfáltico e que 36 têm pelo menos uma forma de acesso asfáltico.

“Sabemos que o governo estadual conseguiu concluir parte desta demanda, por isso a ponderação de que pelo menos 50 não contam com acesso asfaltado”, respondeu a assessoria de imprensa de Eduardo Leite.

A Secretaria dos Transportes através do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) está desenvolvendo o Programa Acessos Municipais, com o objetivo de asfaltar as rotas de chegada a comunidades do interior do Rio Grande do Sul. As obras são financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Dados sobre o programa consolidados em abril de 2017, indicavam 36 acessos concluídos e 20 em execuçãoAs informações foram despublicadas recentemente sob alegação de impedimento pela lei eleitoral, mas segundo o Daer voltarão a ser disponibilizadas após o pleito:

“Informamos que devido ao prazo estabelecido pelo Governo do Estado por lei, todos os órgãos públicos não podem divulgar informações sobre trabalhos, obras e resultados durante o período eleitoral. Pedimos desculpas por atualmente não poder ceder informações. A previsão é que a partir de outubro o site volte a funcionar normalmente.”

Em uma entrevista ao Jornal do Comércio, publicada no dia 23 de julho de 2018, o presidente da Famurs, Antonio Cettolin (MDB), também afirmou que o número de municípios sem acesso asfáltico diminuiu para 57. O novo levantamento ainda não foi publicado pela Famurs.

Com base nos dados disponíveis, portanto, é possível afirmar que a falta total ou parcial de acesso asfáltico ainda afeta mais de 50 municípios.

Veja as checagens dos nove pré-candidatos ao governo do RS feitas no FiltroLab


*Conteúdo gerado durante curso de extensão “Laboratório de Fact-checking”, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Relacionados