Eduardo Leite (PSDB) confunde indicadores ao falar de educação em Canoas

Eduardo Leite usou dado correto, mas errou a referência (Foto: João Mattos/Metro Jornal)

No debate da Band, em 16 de agosto, Eduardo Leite (PSDB) e Jairo Jorge (PDT) discutiram dados sobre educação nas cidades em que foram prefeitos. Leite governou Pelotas, terceiro município mais populoso do RS, de 2013 a 2016, enquanto Jairo foi prefeito de Canoas, quarta maior cidade gaúcha, por dois mandatos (2009-2016).

Bruno Moraes, do Filtro Fact-checking

No terceiro bloco do debate, Jairo escolheu Eduardo para questioná-lo. Ao elaborar sua pergunta, o tucano alegou que o desempenho dos alunos do 5º ano em Canoas, onde seu oponente foi prefeito por oito anos, subiu apenas um ponto percentual, segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), calculado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O indicador agrega os resultados de dois conceitos: o fluxo escolar e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – composto por um conjunto de avaliações, como a Prova Brasil.

“No Ideb de 2013 para 2015, a proporção de crianças que aprende o adequado em matemática no 5º ano na sua cidade [Canoas] aumentou apenas um ponto percentual.”

“No Ideb de 2013 para 2015, a proporção de crianças que aprende o adequado em matemática no 5º ano na sua cidade [Canoas] aumentou apenas um ponto percentual. Se o senhor coloca esses recursos, onde é que está falhando a educação que o senhor fez lá em Canoas para não estar atingindo os resultados?”, perguntou Leite.

O Truco nos Estados – projeto de checagem de fatos da Agência Pública, feito no Rio Grande do Sul em parceria com o Filtro Fact-checking – verificou várias declarações feitas no debate e concluiu que a informação citada por Leite está fora de contexto. Citada pelo candidato, a variação de um ponto percentual refere-se apenas a um dos critérios do Ideb, não ao índice total. Não é possível avaliar o progresso do aprendizado em matérias específicas usando o Ideb.

Consultada sobre a fonte do dado mencionado na formulação da pergunta, a assessoria do candidato indicou o site da startup QEdu, vinculada à Fundação Lemann – entidade sem fins lucrativos, nacionalmente reconhecida, que atua junto a governos e instituições de ensino com o objetivo de melhorar a educação pública.

A frase do tucano, no entanto, contém uma imprecisão que compromete o raciocínio. Leite afirma que “a proporção de crianças que aprende o adequado em matemática no 5º ano” cresceu apenas 1 ponto percentual entre 2013 e 2015 – o que está correto, segundo o QEdu. Contudo, esse dado se refere à Prova Brasil – exame aplicado a estudantes de escolas públicas para mensurar a qualidade do ensino. E o Ideb leva em conta também outros quesitos, como o desempenho deles em língua portuguesa e o fluxo escolar, resultando em um indicador mais abrangente, que envolve mais de um disciplina e leva em conta a qualidade do aprendizado e a quantidade de aprovados, com base em números do Censo Escolar.

Fonte: Qedu

O QEdu, por meio da assessoria de imprensa, confirma que “a frase do candidato está imprecisa”, pois a “nota do Ideb e os dados referentes a aprendizado são coisas diferentes”. Outro detalhe relevante é que o rendimento desses mesmos alunos na prova de português melhorou 9 pontos percentuais. E esse crescimento também influencia no resultado final do Ideb das escolas municipais de Canoas.

Fonte: Qedu

Como Leite considerou a parte pelo todo, ou seja, usou um item analisado no cálculo do Ideb como se fosse o resultado final, a informação foi considerada ‘sem contexto’, conforme os critérios de checagem do Truco nos Estados.

Na tréplica, após ouvir a resposta de Jairo Jorge (que argumentou que os índices de Canoas eram melhores do que os de Pelotas), Leite se defendeu: “O Ideb de 2013 para 2015 subiu apenas um ponto percentual em Canoas. Em Pelotas, subiu 14 pontos percentuais”. Novamente, o tucano cometeu o mesmo equívoco: usou um dado referente à Prova Brasil como se fosse o Ideb.

Fonte: Qedu

O Ideb dos anos iniciais de Canoas

Conforme o levantamento mais recente (2015) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Ideb dos anos iniciais da rede municipal de Canoas é 5.0 (0.2 abaixo da meta). Em 2013, o índice era igual à meta estabelecida, de 4.9.

Resposta do candidato

Antes da publicação da checagem, comunicamos a assessoria do candidato sobre o selo atribuído. O próprio candidato entrou em contato com a equipe do Filtro. Eduardo Leite reconheceu que foi impreciso ao indicar o Ideb como referência, mas reiterou que o dado informado está correto: a proficiência em matemática no 5º ano em Canoas cresceu um ponto percentual.

Relacionados