De fato, Eduardo Leite participou de encontro com Barack Obama

Leite foi um dos jovens escolhidos para encontro com Obama em São Paulo (Foto: Fundação Obama)

Em 2017, Fundação Obama convidou 11 jovens brasileiros para um encontro com o ex-presidente dos Estados Unidos – entre eles, estava o ex-prefeito de Pelotas. Corrente nas redes sociais usa o fato para desqualificar apoio do tucano a Bolsonaro.

Taís Seibt, do Filtro Fact-checking

Na lista de motivos para apoiadores de Jair Bolsonaro (PSL) não votarem em Eduardo Leite (PSDB) para o governo gaúcho, uma corrente amplamente compartilhada no WhatsApp e divulgada no Facebook nos últimos dias dá conta de que o jovem tucano teve um encontro com o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama.

“[Eduardo Leite] foi selecionado inclusive para um aconselhamento com o próprio Obama”.

O Truco nos Estados – projeto de checagem de fatos da Agência Pública, feito no RS em parceria com o Filtro Fact-checking – confirmou que o ex-prefeito de Pelotas participou de um encontro com Obama, no ano passado, em São Paulo. A reunião foi registrada pela imprensa local e nacional, contando com relatos dos participantes – entre eles, o próprio Eduardo Leite. O currículo do candidato em sua página oficial também menciona o encontro.

Porém, Leite não obteve formação pela Fundação Obama durante sua passagem pelos Estados Unidos, segundo sua assessoria: “Eduardo Leite passou o primeiro semestre de 2017 em Nova York, onde estudou gestão pública na Universidade Columbia. Não participou de treinamento na Obama Foundation”.

O encontro com o ex-presidente estadunidense ocorreu em São Paulo, no Hotel Hilton, durante o Fórum Cidadão Global. A Fundação Obama selecionou 11 jovens envolvidos em projetos de engajamento social ligados a instituições norte-americanas no Brasil para participar de uma reunião com o democrata. Leite foi um dos convidados.

Assinado por “organizadores das manifestações pró Bolsonaro em Pelotas e em todo Rio Grande do Sul” e creditado para as “Gurias Da Direita” em uma das mensagens que circula no WhatsApp, o texto se utiliza de informações verdadeiras sobre o encontro de Leite com Obama para desqualificar o apoio do tucano à candidatura de Bolsonaro para presidente. O Truco nos Estados também verificou trechos da corrente sobre direitos LGBT.

Relacionados