Grupo RBS muda comando sem afastar Duda Melzer

Melzer passará a dividir as funções de executivo de mídia com Toigo | Divulgação RBS

A RBS anunciou mudanças relevantes na sua estrutura organizacional nesta segunda-feira (14). Há tempos especulava-se sobre a substituição do presidente do grupo de comunicação, Eduardo Sirotski Melzer, o Duda.

No mercado, circulavam informações de que uma empresa caça-talentos já estava buscando um nome para o seu lugar.

Publicado em Jornal JÁ

 


 

As alterações mantém Duda no cargo. O presidente, porém, vai precisar dividir com outro executivo a gerência da área noticiosa da empresa a partir da criação do posto de CEO de operações de mídia, que será ocupado pelo atual vice-presidente de Finanças, Claudio Toigo Filho.

Por outro lado, o herdeiro da família proprietária de quatro canais e 18 retransmissoras de TV, oito jornais impressos e sete rádios no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina acumulará também a função de presidente do Conselho de Administração do grupo, substituindo o tio, Nelson.

As relações entre os dois Sirotsky que se revezaram no poder estavam azedadas desde que Duda implementou um impopular plano de corte de gastos na empresa, que teve péssima repercussão – inclusive entre leitores, ouvintes e telespectadores da empresa.

“O atual presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS, Nelson Sirotsky, após uma vida dedicada à empresa, decidiu continuar contribuindo com a RBS como membro do conselho e em questões editoriais e institucionais, mas sem funções executivas”, justificou um comunicado publicado na página da corporação de mídia.

O herdeiro, entretanto, prometeu dar sequência à gestão do tio antecessor. “Serei um garantidor do nosso propósito e dos valores da nossa família”, prometeu Duda.

Marcelo Rech volta ao círculo de poder

Um dos homens de confiança de Nelson Sirotsky que haviam perdido influência com as novas regras implementadas por Duda era o diretor de jornalismo, Marcelo Rech — o que, segundo Luiz Cláudio Cunha provocou “uma cisão irreparável nas relações entre tio e sobrinho”.

A empresa não tardou a remediar e anunciou, no mesmo comunicado a criação da Vice-Presidência Editorial para Rech, que também assume a liderança do Comitê Editorial da RBS.

As mudanças passam a valer a partir de janeiro de 2016.

Demissão ou desapego?

A figura de Duda Melzer ganhou fama além dos círculos da comunicação em agosto do ano passado quando anunciou a demissão de 130 funcionários por e-mail, o que ele considerava uma demonstração de “coragem e desapego”.

“Temos apoio dos acionistas nas nossas decisões e temos também (…) coragem, energia e desapego para deixar de fazer coisas que não agregam e investir no que pode nos fazer crescer”, escreveu, na ocasião.

Duda também saudou as novas operações da empresa, vinculadas à indústria da bebida. “Muitos de vocês que já são sócios da Wine agora poderão também ser da Have a Nice Beer, o maior clube online de cervejas da América Latina, que está vindo para o Grupo”, destacou em seu comunicado.

Era tudo parte de um plano orientado pelo consultor Cláudio Galeazzi, que segundo Luiz Cláudio é conhecido como Galeazzi Mãos de Tesoura porque atua nas empresas para promover cortes em nome dos resultados positivos para acionistas.

Com a repercussão ruim, as demissões ocorrem a conta-gotas no grupo.

Relacionados