Voluntários promovem ciclo de palestras sobre a vida no cárcere na Cadeia Pública de Porto Alegre

Com o objetivo de promover o diálogo com a sociedade sobre a realidade de quem vive atrás das grades, voluntários do projeto Direito no Cárcere organizam o VI Ciclo de Estudos Direito no Cárcere, no dia 24 de novembro, no auditório da Cadeia Pública de Porto Alegre (antes conhecida como Presídio Central).


 

O evento, sem fins lucrativos e aberto ao público mediante inscrição prévia, faz parte das comemorações dos cinco anos de atividades do projeto Direito no Cárcere na recuperação de detentos dependentes químicos. Coordenado pela advogada Carmela Grune, o grupo de voluntários realiza atividades para promover a liberdade de expressão no presídio, por meio de atividades artísticas, produção de mídia e realização de debates.

Trabalhos autorais desenvolvidos com os detentos serão apresentados durante o evento. O valor dos ingressos varia de R$ 50 a R$ 250, dependendo da modalidade de participação. Também há cotas de doação e patrocínio ao projeto com valores de até R$ 2750. Todas as informações e a plataforma para inscrições estão no site: https://www.sympla.com.br/vi-ciclo-de-estudos-direito-no-carcere__100898/

Participações confirmadas:

Confira a programação:

VI Ciclo de Estudos Direito no Cárcere

24 de novembro de 2017

Cadeia Pública de Porto Alegre

  • 12h – Credenciamento dos participantes
  • 12h30min – Exposição de Obras de Arte em Madeira e Ferro – feitas pelos artistas detentos do Setor de Atividade e Valorização Humana da Cadeia Pública. Disponíveis para compra no local
  • 13h – Abertura Oficial – Tenente Coronel Marcelo Gayer, Diretor da Cadeia Pública de Porto Alegre e representando a equipe técnica do Programa de Tratamento de Dependência Química Luz no Cárcere, a psicóloga Rosana Avila.
  • 13h10min – Performance  “O Sol é para Todos”, do Grupo de Teatro Livre – Criado em conjunto pelos presos Anderson Soares dos Santos (seu idealizador), Taigor Roberto Conceição Teixeira, Marcio Leandro da Silva e Ronaldo dos Santos Ilha. Direção Teatral da atriz Silvana da Costa Alves, com a Coordenação da psicóloga Katia Mayrhofer, direção e servidores do PCPA, no Presídio Central de Porto Alegre. Objetivo dar visibilidade aos detentos, integrando as produções artísticas no cárcere, estimulando o interesse pela arte como instrumento de cidadania e geração de renda.
  • 13h20min – Christiane Russomano Freire – Doutora em Ciências Criminais pela PUCRS, foi Diretora da Escola Penitenciária na Secretaria da Segurança Pública – SSP/RS – intervenção  “As representações sociais da punição entre policiais civis, militares e gestores penitenciários do estado”;
  • 13h30min – Lúcio Antônio Machado Almeida – Doutor em Direito pela UFRGS – intervenção  “O encarceramento em massa da juventude negra”;
  • 13h40min – Marcos Rolim – Doutor em Sociologia pela UFRGS –  intervenção “Desistência criminal”;
  • 13h50min – Luciano Pretto  – Promotor de Justiça do MPRS – a definir;
  • 14h – Gilmar Bortolotto – Procurador de Justiça do MPRS – intervenção   “Metodologia APAC como alternativa à Execução Penal”;
  • 14h – Carmela Grune – Coordenadora do Projeto Direito no Cárcere, advogada, Mestre em Direito pela UNISC
  • 14h10min – Apresentação dos detentos integrantes do projeto Direito no Cárcere com a participação dos voluntários monitores da prática de escrita criativa como empoderamento social – Vera Maria Inácia da Costa, Ricardo Fernandes Cardoso da Silva, Aline Borges da Silva, Gabriela Michels Rizzardi, Maricleia Carvalho Da Silva;
  • 15h10min – Intervenção Musical;
  • 15h20min – Espaço para perguntas;
  • 16h10min – Homenagens;
  • 16h30min – Encerramento das apresentações
  • 16h50min – Entrega dos certificados ao final do evento, mediante apresentação de documento de identidade com foto.

EVENTO SEM FINS LUCRATIVOS

O dinheiro arrecado neste evento será utilizado para:

  • Ajuda de custo para transporte de voluntários
  • Confecção dos kits do projeto (camisetas, monóculos, posters e homenagens)
  • Contratação de 3 banheiros químicos
  • Credencial de entrada
  • Emissão de certificados
  • Divulgação do Evento
  • Registro fotográfico e audiovisual
  • Taxa limpeza de auditório
  • Taxa produção do cenário
  • Sonorização
  • Taxa de uso do Sympla 10% do valor do ingresso pago
  • Lanche dos presos e voluntários no dia do evento

 

Relacionados