Empreiteira investigada pelo TCE-PI tem contratos prorrogados

A DIGITAL DO GESTOR QUE SE MANTINHA NO ANONIMATO
O diretor presidente do Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI) Geraldo Magela Aguiar renovou dois contratos, que seriam oriundos dos idos anos de 2014, com uma das construtoras suspeitas de praticar sobrepreço e superfaturar valores em obras de estradas vicinais na gestão de Elizeu Aguiar, durante o governo de Zé Filho.

A empreiteira é a Caxé, pertencente ao engenheiro Gustavo Macedo Costa.

Por Rômulo Rocha – De São Raimundo Nonato

Publicada originalmente no dia 20/08/2017 em Portal180

Um dos extratos publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) diz respeito à tomada de preços 034/2014, que gerou o contrato nº 117/2014. O objetivo da obra foi prorrogado por mais 285 dias. O processo administrativo aqui é o de número 396/2014.

O outro extrato publicado no DOE também diz respeito à tomada de preços número 034/2014, que gerou um outro contrato, o de número 115/2014. Esta outra publicação faz referência ao processo administrativo número 772/2013, e também foi prorrogada por 285 dias.

Os extratos de termo aditivo foram assinados no dia 11 de agosto de 2017.

O período disposto nos processos administrativos coincidem com o suspeito, cujos acontecimentos deles oriundos tiveram como consequência a realização de 36 tomadas de contas especial no âmbito do Tribunal de Contas do Estado e mais de 40 procedimentos investigatórios no Ministério Público Estadual (MPE).

AÇÕES CONTRA O 180 E SEUS JORNALISTAS
O empreiteiro Gustavo Macedo Costa, que integraria junto com outros mais de 10 empreiteiros um momento do IDEPI nada republicano, processa o 180 por noticiar o Caso IDEPI, que ele o tem como algo pessoal.

Na ação movida contra o portal, há entre os alvos o próprio meio de comunicação; a jornalista Apoliana Oliveira, ex-editora do 180; e o jornalista, advogado e contador Aquiles Nairó.

O empreiteiro também registrou queixas no âmbito da 12ª Delegacia de Polícia e sua esposa na delegacia da mulher contra o titular do Blog Bastidores.

Os boletins de ocorrência e queixa crime já estão de posse do titular do blog.

Tais documentos eram solicitados por uma instituição internacional com braço no Brasil, que defende a liberdade de expressão.


*Esta é uma das mais de 20 reportagens que foram alvo de censura prévia imposta pela juíza Lygia Carvalho Parentes Sampaio, do estado do Piauí, ao Portal 180. Você pode conferir a liminar no link abaixo onde ela defere o pedido de “tutela antecipada” (censura prévia) para que o portal retire do ar notícias já veiculadas sobre a empresa Caxé e seus donos e que “se abstenham de divulgar novas notícias que atinjam a honra dos autores sob pena de multa diária de R$1.000,00 seu eventual agravamento, além de incorrer nas penas de crime de desobediência à ordem judicial”.

Liminar que impõe censura prévia ao Portal 180 pode ser conferida aqui

Relacionados